Criação de bibliotecas ativas nos bairros

Segundo o repórter Ariel Palácios da Globo News, Buenos Aires tem em torno de 600 livrarias. E alguns afirmam que tem é muito mais! Sonho um dia Manaus poder ao menos se aproximar deste índice. Todavia, um estado com poucos bons leitores, distante de incentivos práticos por parte de nossos governantes, jamais chegará ao ápice cultural desejado se não forem feitos os reparos necessários.
Nasci em Manaus, uma cidade que tem o grande pólo industrial que não mexe uma palha pela cultura do estado do Amazonas. Se os ditos empresários tivessem suas raízes em terras amazônidas, eles teriam um pouco mais de sensibilidade pelo nosso povo.
Quanto ao índice de leitura em nosso país, determinada vez ouvi de um repórter que no Brasil não se produz livros “demais”, o Brasil produz é leitores de menos!
Creio que todo o livreiro, professor, profissional das letras e até mesmo os mais sensíveis aos danos culturais que nosso país vem sofrendo no decorrer dos tempos é capaz de ver o quão baixo está o interesse de nossos jovens pelos livros.
Com o objetivo de incentivar a leitura e a integração da população ao acesso propício ao conhecimento, creio que deveríamos propor o desenvolvimento de um projeto de lei que disponha a universalização do acesso à cultura e institui o incentivo da criação de Bibliotecas Municipais nos bairros.
A implementação das bibliotecas é fruto da necessidade da população em ter acesso à informação gratuita e do Poder Público da cidade em contribuir cada vez mais para o desenvolvimento intelectual, cultural e social dos seus moradores.
Considerando o fato de que é baixo o índice de leitores em nosso país, somente com o apoio das prefeituras e com o desejo da população, a implementação das bibliotecas poderão ser auxiliadas por entidades privadas; programas de incentivo de doação de livros, periódicos e outros; recursos da comunidade em geral e outras fontes de contribuição.
Cabe a nós, cidadãos, mudarmos o triste cenário que se encontram os nossos jovens e formar uma sociedade de leitores apaixonados por livros. Espero que empenhemo-nos um pouco mais pelo futuro de nossas gerações em mudar a triste realidade atual e propor um melhor incentivo à leitura. Pois, como disse Monteiro Lobato, um país de faz com homens e livros!